sexta-feira, 29 de maio de 2009

Roteiro para Elaboração da Entrevista - História Oral

01- É preciso que o aluno(a) desenvolva um envolvimento prévio com o tema que possibilite aproveitar melhor as informações presentes na fala do seu entrevistado(a).
Portanto se intere um pouco a respeito de seu(s) tema(s) para que voce possa oferecer argumentos / questionamentos que possam enriquecer a conversa.

Sempre lembrando que o foco principal está nas informações / impressões de seu entrevistado não nas nossas, mas também não é um monólogo.

02- Imagine e esquematize de maneira prévia um roteiro de perguntas a serem feitas no momento da entrevista. Acho importante que abordem algumas informações do entrevistado (a) que posam nos revelar um pouco do seu perfil.

Por exemplo : Nome, Idade, Profissão, Origem, Nível educacional, etc. e também outras informações que possam ajudar na conversa.

Atenção ao encadeamento, para que a conversa siga uma 'certa' lógica e mais atenção ainda para as possibilidades que surjam durante a entrevista , ou seja , muita atenção nas entrelinhas. Muitas vezes aquilo que é apenas sugerido é mais interessante do que aquilo que é afirmado textualmente.

As pessoas e os discursos são feitos de contradições, luzes e sombras, aproveite-os.

03- É importante que haja muita organização para a realização do projeto. Fique atento para :

a) Organização do material necessário : gravador (ou MP3, celular, etc) papel, caneta, etc

b) Organização do tempo disponível. É fundamental que NÃO haja PRESSA em se livrar do trabalho.

Se não houver calma, disponibilidade que possibilite uma interação de QUALIDADE entre o aluno e o entrevistado que possibilite que se crie um ambiente mínimo de 'confiança' e de interação, o projeto não faz sentido.

Construa um espaço de tempo dentro de sua vida cotidiana para que seja possível que ocorra uma ‘entrega’ para o trabalho. Se você não consegue controlar o ritmo de sua vida e determinar que durante o tempo necessário para a realização desta atividade você estará totalmente disponível, não tem por que fazê-la.

A alma da questão reside na interação entre entrevistador e entrevistado, se você não conseguir instituir um clima de tranqüilidade, calma, cumplicidade, sem ansiedade não irá conseguir sensibilizar seu depoente e simplesmente o depoimento vai refletir isso e as melhores questões não vão aparecer.

c) Organização da transcrição :
O material ( OBRIGATÓRIAMENTE) gravado irá se transformar, após transcrito, em texto num formato de depoimento ( sem as divisões perguntas x respostas).

Trata-se de um desenvolvimento de habilidades relativas a criação de textos em formato diferente daquele em que foi concebido originariamente.

Portanto é necessário que haja uma boa interação com o texto a ser produzido. Leia, releia, adapte, ‘ajeite’ e reescreva o texto quantas vezes seja necessário, mas não se esqueça de respeitar os sentidos originais daquilo que foi dito na entrevista.

Fique atento se as mudanças que você terá de fazer para as adaptações não irão alterar o sentido que seu entrevistado quis dar ao assunto.

d) Apresentação do texto, reeditado ao entrevistado :
Após a elaboração em novo formato, apresente o resultado para seu entrevistado. Anote as alterações / complementações sugeridas.

e) Reelaboração a partir do 2º encontro : reescreva o texto adaptando as sugestões.

f) Após a finalização do texto da entrevista, elabore um relatório que demonstre suas dificuldades ( pessoais, técnicas, específicas, materiais, etc), descobertas, progressos, aprendizagens, etc provocados pela experiência, ou seja tudo aquilo que este trabalho lhe proporcionou de ‘novo’, de descoberta, de experiência que tenha sido válido.


È , (só ) isso !!! rsrsrsrs Valeu ?

2 comentários:

Oscar Luz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Oscar Luz disse...

Dicas realmente valiosas!!!Obrigado pela Luz no fim do túnel!!